Páginas

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Step into the future

Quando pequenos imaginavamos que após o ano 2000 haveriam pessoas com exoesqueletos pelas ruas, cadeirantes voltariam a andar com ajuda deles, equipamentos como patins e carros voadores, plantações de hidropônicas na Lua e em Marte, entre outras maravilhas.
Bem, não estamos ainda lá, mas alguns avanços temos conseguido, avanços que parecem nos deixar muito próximos do que idealizavamos na infância.
Um exemplo disso é Rex (Robotic Exoskeleton), da empresa da Nova Zelandia Rex Bionics, um exoesqueleto capaz de possibilitar a um paraplegico andar, subir escadas, locomover-se por lugares irregulares, ficar parado em pé, tudo isto através de Joysticks ao alcance das mãos. Joysticks? Eu sei, também tive essa impressão, parece um esforço grande mover joysticks sempre que se quer dar um passo, mas compare com a sensação de se estar sempre preso a uma cadeira.
O produto ainda é um tanto limitado, mas me imagino que conforme as pessoas começarem a utilizar ele será melhorado, como toda tecnologia. Além disso os usuários melhorarão sua habilidade com o Joystick e em breve serão capazes de correr, saltar, etc. Além de tornarem-se imbativeis no videogame, essa é uma grande vantagem.. Brincadeiras a parte, o produto da Rex Bionics custará 150 mil dolares, ainda é um preço alto, embora o produto compense, mas já é bem mais parato do ficaria o exoesqueleto completo para tetraplégicos de que vi o Japão produzir um protótipo a alguns anos.
Outra coisa interessante é que o usuário consegue passar da cadeira de rodas, ou de uma cama, para o Rex sem precisar de ajuda, o que não acontece, por exemplo, com a cadeira de rodas vertical,(com movimento por inclinação mantendo as mãos livres) constituindo-se em independencia, o usuário do Rex não precisa de ajuda de terceiros, essa é a idéia por traz do equipamento.
Mas a principal informação mesmo é que este produto vai ao mercado já em 2011, quer dizer, é real e imediato.
O custo é elevado, mas se eles levarão ao mercado o produto continuará a ser atualizado, e surgirão concorrentes, com certeza, então é possível que o preço caia nos próximos anos.

Vi a notícia no IDG NOW há também um video de um dos testes e a experiência de uma pessoa que pensou que nunca mais andaria.

Podem perguntar, porque eu penso que haverá mercado e concorrencia? Pois outras empresas já desenvolvem seus proprios projetos nessa área, e em áreas relacionadas. O braço que diferencia quente de frio e texturas enviando estimulos aos nervos do ombro como se fosse o braço original é um exemplo disso., também temos dedos, mãos, pernas, pés, dedos dos pés, tudo com esta tecnologia, não importa se a pessoa perdeu um dedo, ou vários dedos, uma mão, um pé, há uma solução para cada caso O já comentado exoesqueleto para tetraplegicos e o Buzz (que recebeu um post aqui a alguns meses) também são exemplo, e da mesma categoria.
É notavel o desenvolvimento das proteses de dedos, feito pela Touch Bionics e chamado Prodigits, pois até então haviam muitas próteses de elevada tecnologia para mãos inteiras, mas nenhuma para quem perdeu apenas um dedo, ou mesmo vários dedos. Fiquei sabendo desse através da matéria no designboom.


Willyans escreveu, não revisou, e é um entusiasta da tecnologia.

Nenhum comentário :